E foi um bom dia*

Ainda não era dia

Quando abri os olhos

“Acho que te amo”

Você tinha tanta certeza

Eu fui sincera nessa manhã

E em todas as outras

Sei que você também foi

Em quase todas

Bom dia, oque vamos fazer hoje?

Você amanhece a qualquer

hora do dia

E eu perdi a conta

De quantas vezes

Li pra você

Esse poema de bom dia

Você entardecíamos

E nos e mordíamos

De felicidade e desejo

Pra amanhecer de novo, juntos

E você me mostrou

Sua cidade

Seu motivo

Pra ser você

E eu realmente achei

Que podia fazer parte

Boa noite, meu amor

Vai ser sol d’outra vida

E lhe beijar

Um bom dia.

Leão

Você me tem na ponta da

Língua

Na ponta

Dos dedos

E poesia, meu bem

É você me beijando

Dentro de mim

Primeira viagem, segundo encontro.

Eu te senti,

Escorrer, transbordar de mim

Até a ponta dos dedos,

Da língua,

escorrer no canto da boca.

Me pergunta

Por que eu não falo

E eu rezo, pra que você entenda,

Esse idioma de gestos

Que só sabe expressar amor e desejos.

_ Às vezes, meu amor, quando calo

É para fazer poesia.

Ulisses

Saliva escorre feito veneno

Talvez seja sua lua

Câncer

E a minha em escorpião

E eu ainda quero descobrir,

Como ascender seu sol

E onde você guarda sua Vênus.

Tecendo meu desejo

Durante o dia

Matando ele no sono

Na saliva

[Pra você eu sou a Penélope que jurei

Jamais seria]

Dobra

Essas duas horas

Fazem uma diferença enorme

Entre o meu acordar

E o seu dormir

Gostoso é quando o céu fecha aqui

E chove por aí

Encurta a distância

Anos luz

Que no outono passam a um

Foram tecendo nós

Com a calma que só

Saturno tem

De esperar a hora certa

Pra me botar no seu tempo

Aqui

Nesse presente

De deitar no seu peito e dizer

Que te amo

Através desse espaço-tempo

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑